2014 2015 Alda Célia amor Ano Novo arminianismo arquitetura arte Artes plásticas artigo ateísmo Augustus Nicodemus Beverly biográfico Blues BMA Bolsonaro C. S. Lewis Caetano Veloso calvinismo Canção canções Carlos Drummond de Andrade Charles Finney citações coletivos Compositores consciência negra conservadorismo conservative considerações cristianismo crônica Daryl David Wilkerson declamações Deus Dia 15 dialética. diário Dimitri Delamefour dinheiro direita eleição eleições 2014 entrevista esquerda estrada Evan Roberts Evolução. face facebook Ferreira Gullar filosofia Fire and Love Fora Dilma Fora Foro de São Paulo Fora PT fotografia frases gayzismo Guitar homossexualidade informações Jair Bolsonaro Jesus Cristo John Wesley Júlio Servo Lembrança de amigo Leonard Ravenhill lesbianismo Letristas Lewis liberalismo Liberdade Lobão lógica loucura. Marina Colassanti Mario Quintana mês de aniversário da Igreja Apostólica Restaurar metafísica minhas missão Móveis Coloniais de Acaju movimentos identitários movimentos sociais mulher mulheres Mundo Servian música nordeste nordestinos o Arquiteto O Senhor dos Anéis O tempo Obama Olavo Bilac Olavo de Carvalho Otis Palavrantiga Para Tamires paradigma Pastor Tulio Pat Marvenko Smith pensamentos pensamentos. perfeição Peter Wagner poecrônica poema poesia poética política Pondé ponderações postagem predestinação Preta Gil Projeto Dorea racismo Raul Seixas realidade reflexões Reforma Prostestante relexões religião Revolta Revolução satisfação Shane sobre a vida Songs sonhos Tamires teologia texto The Walking Dead Tolkien TW TWD USA verdade vídeos virgem Voar como a Águia vocação Watkins

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Luta



Olho pro alto, olho em redor

O coração pesa como um grande livro sobre uma pequena mesa

Indago-me a mim mesmo os motivos do coração.


Não entendo, incompreendo o motivo da desolação

Algumas  batalhas vencidas na gerra, um vento suave

em um deserto tranquilo demais...


Investigo.  Olho pro Céu e vejo se há valentes vermelhos

O sossego do tempo parece anunciar mais tempo de tranquilidade e descanso

Mas o coração apertado e a boca ressequida parecem dizer que mais guerra está por vir


Olho para os montes, de onde me virá auxílio?

Checo a armadura,  feita de aço e verdade

De justiça e amor...

Mergulho a espada no livro, ela reluz de branca luz

Unto-a  em incenso e com o virgem produto da oliveira. Agora ela é dourada e parece transmitir algum poder.


Me vejo no espelho.   Ofereço um pouco mais de incenso.

Fecho os olhos e sinto em meu ombro a mão do Rei.

As lágrimas descem por causa da promessa aos vencedores.

Gloriosa é a promessa e amolecido meu coração verte lágrimas por causa do Amor.


Suas mãos nobres concedem-me coragem  e firmeza.

Enche-me o coração, esta taça,  de Alegria abundante.

Me Rio, Rio de tudo, Rio com a Graça.

Tudo está selado. Permaneço no seu selo.



Olho pro horizonte....  Não ignoro o adversário

Mas permanece o Rei inabalável

Estou pronto pra lutar outra vez.




2 comentários:

Suzy disse...

Gostei desse aquii!=**

Júlio Servo disse...

Acho que se aproximou bastante do fantástico que te agrada. Ainda quero comentar algo seu. Mais uma vez obrigado pela visita linda.