2014 2015 Alda Célia amor Ano Novo arminianismo arquitetura arte Artes plásticas artigo ateísmo Augustus Nicodemus Beverly biográfico Blues BMA Bolsonaro C. S. Lewis Caetano Veloso calvinismo Canção canções Carlos Drummond de Andrade Charles Finney citações coletivos Compositores consciência negra conservadorismo conservative considerações cristianismo crônica Daryl David Wilkerson declamações Deus Dia 15 dialética. diário Dimitri Delamefour dinheiro direita eleição eleições 2014 entrevista esquerda estrada Evan Roberts Evolução. face facebook Ferreira Gullar filosofia Fire and Love Fora Dilma Fora Foro de São Paulo Fora PT fotografia frases gayzismo Guitar homossexualidade informações Jair Bolsonaro Jesus Cristo John Wesley Júlio Servo Lembrança de amigo Leonard Ravenhill lesbianismo Letristas Lewis liberalismo Liberdade Lobão lógica loucura. Marina Colassanti Mario Quintana mês de aniversário da Igreja Apostólica Restaurar metafísica minhas missão Móveis Coloniais de Acaju movimentos identitários movimentos sociais mulher mulheres Mundo Servian música nordeste nordestinos o Arquiteto O Senhor dos Anéis O tempo Obama Olavo Bilac Olavo de Carvalho Otis Palavrantiga Para Tamires paradigma Pastor Tulio Pat Marvenko Smith pensamentos pensamentos. perfeição Peter Wagner poecrônica poema poesia poética política Pondé ponderações postagem predestinação Preta Gil Projeto Dorea racismo Raul Seixas realidade reflexões Reforma Prostestante relexões religião Revolta Revolução satisfação Shane sobre a vida Songs sonhos Tamires teologia texto The Walking Dead Tolkien TW TWD USA verdade vídeos virgem Voar como a Águia vocação Watkins

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

De Isaque, de Rebeca, En passant: O Amor


Será que esse nosso amor é egoísta?
De amar e de querer só para si
De ficar perdido olhando a vista
De lembrar de alguém que nem te vê.

De amar tão só e se entregar
tão completamente àquele olhar
Aos olhos de quem nem sabes se te olhou

Será que é certo iludir-se tanto?
Embriagando-se e fartando-se em paixão?
Mesmo sabendo que em breve o encanto quebra
Será poeira, fel e maldição

Mesmo sentindo bom e puro sentimento
Envolvido sim em compreensível atração?
Sonhando um sonho de amor e aliança
Mas que não esquece a parte da paixão.

Certo mesmo é entregar pra Deus.
O Coração perdido precisa de atenção
E exposto, é certo,  à Divina Luz
Encontrará Paz, Amor e Proteção.

Que guie o anjo o servo instruído
Que aguarde em paz o coração orientado
De  nosso pai;  da nossa parentela,
Devem ser a amada e o amado.

Angustiado está meu coração
Pois esperar as vezes faz doer
Mas aguardo aqui: Mão invisível, direção!
Até que do cântaro dê-me a  moça de beber.






Nenhum comentário: